História do Pole Dance

O Pole Dance é uma prática que tem se tornado cada vez mais popular por proporcionar inúmeros benefícios, tanto para o corpo, quanto para a mente. Você pode entender um pouco mais sobre esse tema nessa lista com 10 Benefícios sobre o Pole Dance que você precisa conhecer, clicando aqui. 

Porém sua origem ainda gera muitas dúvidas, uma vez que o Pole Dance é uma união de exercícios de força e de dança. De maneira geral, o Pole Dance pode ser classificado como uma junção de movimentos acrobáticos de força característicos da calistenia e ginástica e movimentos de dança utilizando um mastro (barra) vertical (estático e/ou giratório) de metal polido. 

Apesar das acrobacias de força do Pole Dance terem suas origens em atividades muito antigas de diferentes povos, foi através da dança que ele acabou se popularizando. Como veremos abaixo, dançar ao redor de um poste passou por uma interessante trajetória até chegar nas conhecidas boates de stripper.

Enquanto, muito antes, já praticavam-se acrobacias em mastros verticais, na Índia e na China, somente na década de 20 surgem as dançarinas eróticas Hoochie Coochie, fazendo suas apresentações utilizando os postes próximos ao palco, que serviam de sustentação para a tenda, como parte do show. Com o passar dos anos a prática se transferiu das tendas para os bares noturnos com o espetáculo Burlesque na década de 50. Os bares se tornaram então as boates de stripper.  

 A seguir vamos conhecer melhor a história do Pole Dance e entender como surgiu cada elemento que compõe a modalidade. Falaremos do passado citando as origens da modalidade, traremos uma análise do presente e também um vislumbre do que será o Pole Dance no futuro. Desejamos boa viagem nessa impressionante história!

PASSADO

Um pouco das influências do Pole Dance

Acrobacias de força: 

Índia:  Mallakhamb

As acrobacias da modalidade de Pole Dance remonta à prática do Mallakhamb (malla = homem de força, ginasta e khamb = poste), existente desde o século XII na Índia. Conhecida como uma yoga indiana, é uma atividade de ginástica tradicional e reconhecida como esporte nacional. Foi utilizado por lutadores de luta-livre e militares como complemento do treinamento. A prática consiste em executar movimentos de equilíbrio, flexibilidade e força num poste vertical de madeira ou cordas. Exige agilidade, concentração, resistência física e cardiorrespiratória. 

GRÉCIA: CALISTENIA

Calistenia é o termo que vem do grego kallistenés, seu significado é “cheio de vigor”. No passado este termo era interpretado como o equilíbrio entre as qualidades físicas, mentais e espirituais. Os gregos buscavam essa harmonia entre mente e corpo, suas ideias eram fundamentadas na beleza, no equilíbrio e na estética das formas corporais. A ginástica, semelhante à calistenia, foi estruturada no século XIX e tinha como objetivo a busca da força em conjunto com a beleza representadas nas formas e curvas do corpo. Foi arquitetada na França pelo suíço Phoktion Heinrich Clias, que por volta de 1822 difundiu também na Inglaterra e logo acabou tornando-se muito popular em todo o mundo, sendo utilizado nas aulas de Educação Física Escolar. 

Atualmente a Calistenia está sendo incorporada em outras modalidades como Treinamento Funcional, o Crossfit e o Street Workout e Pole Dance. Ela foi pensada para pessoas comuns, ou seja, não atletas. A Calistenia é um uma forma de exercício físico, onde você não precisa de mais nada além do peso do próprio corpo para se exercitar. 

CHINA:  MASTRO CHINÊS

Outra modalidade que podemos tomar como referência é o Mastro Chinês (1800). Tornou-se popular no ocidente através das performances do Circo Imperial da China. O aparelho consiste em um mastro de ferro, forrado com material antiderrapante, que possui entre 3 e 7 metros de altura. Pode-se usar borracha, E.V.A., neopreme, tecido, tinta plástica ou mesmo usá-lo diretamente no ferro. Devido ao seu revestimento, a prática do mastro pode ocasionar queimaduras, assim para sua prática é indicado o uso de calça comprida, camiseta e algumas vezes até blusas de manga longa. Exige preparação acrobática, força muscular e criatividade. Em alguns estúdios de Pole Dance esse equipamento já faz parte para o treinamento dos movimentos de força. Podendo ser utilizado também como Pêndulo. Conheça aqui a linha de Mastros Emborrachados Gaia Pole. 

A Dança:

EUA: HOOCHIE COOCHIE

O dançar ao redor de uma mastro (barra) se originou durante os anos 20, época marcada pela Grande Depressão Americana, com as dançarinas eróticas Hoochie Coochie – nome originado em função do movimento de quadril que faziam. Era parte de um espetáculo feito por um grupo de artistas conhecidos como Tour Fair Shows (semelhantes a artistas circenses) que viajavam pelas cidades americanas fazendo suas apresentações e divertindo o público. Grande parte desse público eram soldados. Na tenda principal as dançarinas começaram a utilizar os postes próximos ao palco, que serviam de sustentação para a tenda, como parte do show .

EUA: ARTE DO BURLESCO

Com o passar dos anos as dançarinas americanas passaram a se apresentar em bares de shows, com performances teatrais de caráter exagerado, muitas vezes utilizando o streptease com o intúito de fazer uma sátira. Essas apresentações deram início ao estilo que passou a ser conhecido por burlesque (ou burlesco) e serviu como referência para diversos estilos de entretenimento que vemos hoje em dia (como balé,  ópera, teatro, etc). A partir do desenvolvimento do burlesque sensual, o Pole Dance foi pouco a pouco se popularizando com as apresentações nos bares. Assim, esses bares se tornaram as conhecidas boates de stripper.

PRESENTE

Pole Dance da forma como conhecemos hoje


Fawnia Mondey e o Pole Fitness

Nos anos 90, Fawnia Mondey do Canadá ficou conhecida por produzir a primeira vídeoaula com instruções de Pole Dance Fitness e Dança através de um DVD, divulgando assim a modalidade como forma de condicionamento físico e possibilitando que mulheres “comuns” utilizassem a técnica como atividade física dentro de suas próprias casas. Ela também incentivou a criação de estúdios. Fawnia era stripper e com ela o uso de salto alto para prática da modalidade ganhou fama e adeptas em diversas partes ao redor do mundo.

O surgimento de diferentes vertentes

Foi à partir dos primeiros anos do século XXI que o Pole Dance se desenvolveu e houve uma estruturação enquanto as vertentes. Muito se utilizava da nomenclatura Fitness denotando praticantes mais interessadas no pole como atividade somente física, mas atualmente entendemos que toda prática que envolva o Pole é por si fitness.

A vertente esportiva, ou Pole Sport, é considerada uma modalidade esportiva. É uma atividade puramente ginástica em que atletas competem através de um código de pontos rígido. Assim como na Ginástica, as competições são baseadas em padrões e normas pré definidas pela entidade que rege o evento.

Temos também a vertente mais sensual, ou Pole Exotic. Não que a parte do exercício físico  fosse esquecida, mas elementos de dança com conotação sensual (e até mesmo sexual) são a principal intenção dessa vertente. 

Por último, temos a vertente artística, ou Pole Art, que surgiu com apresentações em espetáculos, inserindo outras bases de diversas danças (street dance, tango, contemporâneo, ballet, etc.). Os artistas buscam expressar as mais variadas sensações e contextos usando o Pole como seu veículo. 

O Pole Dance é uma junção de todas essas atividades e dependendo de que vertente o praticante escolher ele irá vivenciar uma experiência diferente. Você pode entender mais sobre o que é Pole Dance clicando nesse link.

FUTURO

Perspectivas de cenários futuros para o Pole Dance:


As vertentes do Pole Dance estão em constante evolução e cada uma tende a buscar sua consolidação dentro da modalidade, consequentemente se diferenciando uma das outras. 

A exemplo disso, temos que nos últimos anos a vertente de alto rendimento do Pole, o Pole Sport, iniciou uma trajetória para ser incluído como Esporte Olímpico. O processo é lento, porém já está em andamento e as previsões são otimistas. Para uma modalidade obter reconhecimento do Comitê Olímpico Internacional / COI precisa preencher alguns requisitos, tais como: ser praticado em 75 países e quatro continentes, ser membro da Global Association of International Sports Federation (GAISF) e também fazer parte da Agência Mundial Antidoping (WADA). 

A entidade internacional que regulamenta o Pole Sport junto a essa tramitação é a International Pole Sports Federation (IPSF). A IPSF conta com 36 federações filiadas. Em 2016 foi aprovada pela WADA e em 2017 adquiriu o Status de Observador da Gaisf, sendo assim reconhecido como Esporte. Naquele mesmo ano conseguiu o apoio da Federação Internacional de Ginástica (FIG).

Por outro lado, o Pole Sensual tem cada vez mais adquirido um aspecto profundo de transformação pessoal. Por se tratar de uma vertente que trabalha a sexualidade como forma de expressão, ela inevitavelmente acaba por provocar o praticante a olhar para si. Acreditamos que esse exercício é uma ferramenta importantíssima que não apenas leva ao autoconhecimento como também a auto aceitação, pois permite ao indivíduo melhorar sua autoestima e modificar a forma como ele se vê. 

Aqueles que tiverem interessem em se aprofundar dentro do Pole Sensual têm muito potencial para explorar esse aspecto terapêutico e utilizar a vertente com essa finalidade. É impossível negar que o Pole Dance tenha entrado no Brasil com uma conotação bastante sexual (muitas vezes exagerada), o que por si só não é um problema, porém vemos que hoje já existe uma grande tendência que vem se distanciando dessa postura. 

Essa mudança de direção é bastante perceptível e nos leva a projetar um cenário onde os estúdios começam a se tornar grandes centros, com ambientes familiares e acolhedores. Temos desde crianças, homens e mulheres buscando não somente uma prática regular de atividade física, mas um local que seja um complemento do seu dia. 

Depois de tanta história e projeções futuras sobre o Pole Dance no Brasil, você pode estar pensando em abrir um estúdio e empreender dentro da modalidade. Para você, preparamos um material específico para você entrar no mercado do Pole Dance com muita segurança e ótimos resultados. Clique neste link para ter acesso a nosso conteúdo exclusivo.

Gostou de aprender mais sobre a origem do Pole Dance? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de compartilhar alguma experiência? Comente abaixo para que possamos compartilhar mais informações. Ah.. e não esqueça de compartilhar esse conteúdo com todo mundo que pratica ou pensa em praticar Pole Dance!

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Receba uma seleção especial de conteúdos que vão te ajudar na prática do Pole Dance, promoções exclusivas e também cupons de desconto!

Compartilhar este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Receba uma seleção especial de conteúdos que vão te ajudar a se desenvolver no Pole Dance, além de promoções exclusivas e muito mais!